top of page

VAMOS FALAR DE INTESTINO ?





 

Atualmente é comum vermos várias pessoas falando sobre intestino nas redes sociais, são tantas informações que muitas vezes pode te deixar confuso(a) não é verdade?  Por isso hoje, vamos falar deste assunto de maneira que você compreenda e possa tirar suas dúvidas, aqui mesmo no chat do site.

O intestino é um órgão que é responsável pela secreção de vários hormônios, além de possuir células que fazem parte do sistema imunológico, tendo por este fato, uma relação com os sistemas neuronal, hormonal e imunológico.

 

Ele é habitado por bactérias que formam a MICROBIOTA INTESTINAL (conjunto de microrganismos que constituem a flora intestinal). Dentro disso existem bactérias benéficas e que auxiliam em todo processo metabólico e outras que não são benéficas. E isso, é natural, não temos como ter um intestino 100% somente com bactérias consideradas benéficas.

 O problema está quando existe um desequilíbrio entre a quantidade e qualidade de bactérias boas e as consideradas não tão boas, por um tempo estendido. E a isso, dá-se o nome de DISBIOSE INTESTINAL, que simplificando o termo podemos dizer que é o desequilíbrio

 

Você sabia que a composição da sua microbiota é única e exclusiva sua? Isso mesmo, não existem várias microbiotas iguais. Então é por isso também, que cada pessoa tem respostas diferentes para alguns processos que envolvem o intestino como absorção, inflamação, e até emagrecimento.

 

O que pode interferir na composição da microbiota intestinal?

 

São vários fatores, desde a genética, a via de parto que você nasceu, se foi possível a sua mãe aderir ao aleitamento materno e alguns fatores externos como: uso de medicamentos (alguns de uso contínuo e outros esporádicos) que não vamos citar aqui quais são, e a dieta.

E saiba, a dieta é um dos fatores modificáveis que mais influencia a composição da microbiota intestinal.  

 É possível modificar rapidamente as cepas (tipos), qualidades e quantidades frente a ingestão modificada de nutrientes. Algumas alterações como redução da ingesta de gordura saturada, aumento no consumo da quantidade e diversidade de fibras alimentares e redução da ingesta de açúcar, fazem parte da estratégia nutricional para o equilíbrio da microbiota intestinal.

Porém, assim como conseguimos uma melhora rápida através da alimentação, essa melhora pode ser transitória caso o padrão alimentar não se sustente. Por isso é importante que o Nutricionista elabore um planejamento que seja sustentável e faça parte da reeducação alimentar.

 

Quais as consequências da disbiose intestinal?

 

Por causa da liberação de substâncias que são inflamatórias, podem ocorrer alteração imunológica, agravamento de patologias como obesidade, síndrome metabólica, aterosclerose, artrite reumatoide, além de desconfortos gastrointestinais como flatulência e distensão abdominal.

 

Tem como prevenir?

 

Sabemos que alguns fatores que podem desequilibrar a microbiota são inegociáveis , como por exemplo quando fazemos uso de alguns medicamentos continuamente e que não há como deixar de usar por que disso, depende também a nossa saúde. Porém , alguns hábitos podem sim equilibrar esses fatores, como , manter uma alimentação equilibrada, com a prevalência de alimentos in natura reduzindo o consumo de alimentos processados e evitando a ingesta de alimentos ultra processados e de bebidas alcóolicas, a introdução nas preparações de alimentos ricos em antioxidantes e anti-inflamatórios e aderir a um plano alimentar que seja sustentável é uma das principais estratégias para a saúde intestinal

 

 

Como é o tratamento para Disbiose intestinal ?

 

 O tratamento é realizado através de intervenções dietéticas especificas, as vezes suplementação com uso de antioxidantes e probióticos dentre outros. Mas é muito importante você saber que: o uso de probióticos e suplementos indiscriminado, sem orientação de um profissional, pode piorar a situação. Isso porque, se o probiótico não for adequado ao seu caso, ele pode aumentar ainda mais o número de bactérias não benéficas, e um outro fator importante, é que existe um protocolo para tratamento de disbiose, e o uso de probióticos não é a primeira etapa.

 

 

 Gostou do conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Escreve para mim no chat do site.

 

Cinthia Reimann – Nutricionista e Personal Trainer Instagram: @cinthiafit

 

Comments


bottom of page